Armazenagem, Dicas, Projeto Logístico, Transportes,

12 tipos de indicadores de desempenho para sua logística

Indicadores de Desempenho são cada vez mais importantes para profissionais da área. Com papel imprescindível para avaliação de boas operações logísticas, os indicadores de desempenho são responsáveis pelo controle através da medição de determinados elementos.
Uma atividade complexa e que ganha atenção de diversas empresas. A sua empresa possui indicadores de desempenho?
Dentro da logística, há uma centena de indicadores de desempenho. É possível encontrá-los na movimentação e armazenagem de cargas, gestão de estoques, na gestão das atividades de transportes, inclusive na logística reversa.
Essa diversidade ocorre devido às diversas nomenclaturas adotadas por empresas, que utilizam o conceito original, adequando a cada sistema de trabalho. O mais indicado seria manter uma uniformidade nas formas de mediação, contudo cada organização apresenta particularidades distintas, lembrando ainda de interferências de usuários finais.


Listamos 12 indicadores de desempenho mais representativos em termos de custo e nível de serviço. Esses indicadores também são utilizados por diversas organizações no Brasil e no exterior, tornando-os fundamentais para quaisquer empresas, independente das distinções da operação logística a ser executada.

1) Pedido Perfeito
Mede o percentual de pedidos entregues no prazo negociado com o cliente. São válidos nessa mensuração, pedidos completos, sem avarias e com documentos fiscais corretos.

2) Percentual de Entregas efetuadas dentro do prazo
Mede o percentual de entregas realizadas dentro do prazo acordado com o cliente.

3) Custo de Transporte como um percentual das Vendas
Mostra a participação dos custos totais de transportes sobre a receita de vendas da empresa.

4) Período do Ciclo de Logística Reversa
Afere o tempo decorrido entre a identificação da carga ou produto, integrado com o fluxo reverso e o seu devido encaminhamento para estocagem, troca, conserto, descarte, etc.

5) Custo de Devolução como um percentual do CMV – Custo das Mercadorias Vendidas
Mede o custo total para a operação do fluxo reverso. Inclusos nessa mensuração estão os gastos com manuseio, movimentação, armazenagens, embalagens.

6) Tempo de Ciclo do Pedido
Tempo transcorrido entre o recebimento do pedido do cliente e data real de entrega.

7) Produtividade da Mão-de-Obra na Separação de Pedidos
Afere a produtividade da mão-de-obra na separação de pedidos.

8) Tempo da Doca ao Estoque (dock-to-stock time)
Mede o tempo transcorrido entre o início da descarga e a disponibilização da carga ou produto para a separação de pedidos.

9) Custos Operacionais com Estoques (K factor)
Indica qual (R$) em estoque a empresa gasta na movimentação e armazenagem de seus materiais. Inclusos nessa medição estão: mão-de-obra, equipamentos, custos operacionais e até mesmo energia e água.

10) Custo de Manutenção do Estoque
Avalia o retorno para a empresa, se o valor investido em estoque fosse aplicado no mercado financeiro a uma taxa livre de risco.

11) Cobertura do Estoque
Verificação se o tempo de estoque é suficiente para atender a demanda, sem a necessidade de reposição. Mede quantos dias de estoque a empresa terá disponível.

12) Giro dos Estoques
Mede o número de vezes que o estoque foi utilizado em um período.

Este artigo foi útil para você? Quer saber como isto funciona na prática? Entre em contato comigo agora no telefone (11) 95475-6465 ou pelo e-mail osmar.vinci@grupoenar.com.br

0