Quem nunca parou o que estava fazendo para dar uma olhada nas notificações recebidas das redes sociais? Facebook, Instagram e até os emails tiram nossa atenção de atividades importantes e por causa disso perdemos minutos preciosos com banalidades. Mas, o que fazer para aumentar o foco? Isso é possível?

Não é incomum chegarmos no nosso local de trabalho, ter tarefas para cumprir e não conseguir se concentrar nelas. Afinal, quando estamos começando a nos concentrar o celular começa a nos avisar que algo aconteceu nas redes sociais. Resistir a tentação de ver o que aconteceu é praticamente impossível para muita gente.

Assim, ao dividirmos nossa atenção com coisas superficiais como quem curtiu uma postagem faz com que às 24 horas do dia sejam insuficientes. Quem nunca chegou ao fim do dia achando que o que produziu foi muito abaixo do que pode produzir?

O pior é que essa impressão é a mais pura verdade. Afinal, o tempo que perdemos com banalidades na internet e até no mundo real é impressionante. Até parece que tudo o que existe foi feito exclusivamente para tirar nossa atenção.

Para conseguir parar e fazer a atividade que precisa ser feita é preciso aumentar o foco. Tirar da mente tudo o que pode distrair e colocá-la para funcionar fazendo uma coisa de cada vez.

Daniel Goleman comenta em seu livro Foco que prestar atenção é uma habilidade que precisa ser trabalhada por nós, pois somos levados a nos distrair sempre e não podemos viver no automático. Daniel Goleman salienta que nosso cérebro possui dois sistemas mentais semi-independentes com funções diferenciadas. O primeiro funciona de baixo para cima (mente bottom-up) e o segundo funciona de cima para baixo (mente top-down). É muito importante que saibamos diferenciar cada um deles.

A mente bottom-up nasceu com os nossos primeiros ancestrais, é intuitiva, tem pensamentos rápidos, controla situações locais, é guiada por emoções, é impulsiva, registra informações por associação, é capas de processar em modo multitarefa e toma ações de forma involuntária e automática.

A mente top-down foi desenvolvida pelos nossos ancestrais milhares de anos após a nossa existência, ela é a nossa consciência, com ela somos capazes de controlar e gerenciar os pensamentos de nossa mente bottom-up, aprender novos modelos, aqui reside o nosso autocontrole, aqui tomamos decisões que sobrepõem a nossa mente automática, porem ela exige muito mais esforço, gasta muito mais energia e processa cada informação de uma vez.

Precisamos buscar o equilíbrio entre estes dois sistemas, trabalhar de maneira automática nos relaxa e aumenta a nossa criatividade, é ótima para tarefas manuais simples como dobrar papéis, podemos deixar nossa mente divagar enquanto trabalhamos. Já trabalhar de forma focada, é ótimo para projetos que exigem muita concentração e muito esforço, entretanto, essa capacidade é diminuída e trabalhar com uma agenda cheia de compromissos, nunca se desligar, pode nos levar a “exaustão cognitiva”. Assim, se as maneiras de focar não são encontradas não é possível manter a atenção em algo e não se distrair.

Para resolver este problema existem algumas técnicas que podem ser aplicadas com o intuito de aumentar o foco. Elas ajudam a evitar as distrações e ainda nos ajudam a ficarmos concentrados.

Técnicas que ajudam a aumentar o foco

A habilidade de se concentrar, manter-se focado em algo não são todos que possuem. O pior é que essa tarefa parece ser cada vez mais complicada já que tudo parece ter sido feito para tirar nossa atenção.

Isso é válido tanto para o mundo virtual quanto o real. Afinal, quem nunca teve de tirar um tempinho para verificar as redes sociais, emails, compromissos, projetos entre outras atividades?

Sabe qual o maior problema disso? A riqueza de informação. Com tanta informação repassada a cada minuto nossa atenção se divide entre uma e outra. Isso gera a falta de atenção e consequentemente a perda da concentração. Assim não conseguimos focar nas atividades que realmente importam.

No entanto, é possível desenvolver nosso poder de concentração fazendo uso de algumas técnicas bem simples e interessantes. Isso é necessário já que nosso cérebro tem de ser treinado para que possa desenvolver a capacidade de atenção.

Somente desta forma ele é capaz de aperfeiçoar o foco e desempenho. Mas para que este treinamento que visa o foco aconteça é preciso que ele seja acompanhado por sua respectiva pausa. Ou seja, alternando momentos de atenção ativa e passiva.

O que é atenção ativa e passiva e método pomodoro?

A atenção ativa é aquela que você está mantendo sua atenção em alguma tarefa importante. Isso deve ser feito por um período de tempo como uma hora, por exemplo. Passada essa hora você tira 5 a 10 minutos para descansar. Este período que seu cérebro se encontra “distraído” é chamado de atenção passiva.

Existe uma técnica que faz uso deste princípio: a pomodoro. Ela propõe que se trabalhe em blocos de 25 minutos. Em cada um deles você desempenhará uma tarefa sem que haja qualquer tipo de interrupção. Passado este período de tempo você terá de descansar por 5 minutos. Em seguida, retorna a mais um bloco de 25 minutos.

Ao completar quatro blocos você descansa por 30 minutos. Desta forma você consegue aliviar a ansiedade, diminuir os períodos de interrupções e até aumentar sua concentração e produtividade. Isso sem falar que você saberá exatamente quanto tempo está gastando para cumprir cada tarefa.

Durante cada bloco com certeza surgirão distrações que podem ser classificadas como internas e externas. Quando você se lembra de tomar um remédio, um copo d’água ou até pedir uma pizza, por exemplo, trata-se de interrupção interna, pois partiu de você.

Isso acontecendo você deve anotar para que se lembre quando estiver repousando a menos que seja algo extremamente urgente. Ao fim você saberá quantas vezes se distraiu enquanto estava efetivamente fazendo sua tarefa.

Quando um colega lhe pede uma informação, você recebe uma ligação ou chega um email, por exemplo, trata-se de interrupção externa. Assim como nas internas você deve deixá-las para depois a menos que seja algo extremamente urgente.

Meditação pode ajudar a aumentar o foco?

A meditação pode ser uma ótima prática para fazer com que o cérebro fique mais atento e mais focado. A falta de foco e o estresse do dia acabam nos atrapalhando na hora de fazer diversas tarefas e até tomar decisões boas e importantes.

Um ótimo caminho, também para que a vida se torne melhor e conseguir se concentrar melhor é com a meditação. Assim, além de te aumentar o foco essa prática também permite que você seja mais criativo, persistente e coerente. Além do mais, o cansaço mental e físico são eliminados com essa atividade.

Basta tirar 10 minutinhos do seu tempo para meditar e você verá os resultados aparecerem. Através desta atividade você consegue estimular a atenção plena tendo foco no agora. Isso sem falar que sua flexibilidade mental e resiliência sofrem um aumento considerável.

Para fazer essa técnica você não precisa de um lugar específico, pois pode meditar dentro do seu quarto ou até no parque, por exemplo. Conheça e escolha um dos métodos que mais combina com você, mas prefira uma que ative seu cérebro.

Você tanto pode adotar a posição sentada típica da meditação como pode se deitar. Começa observando sua respiração atentamente. Respire profundamente e imagine que quando faz isso uma luz dourada entra no seu corpo. Ao expirar, todas as energias ruins que estavam em seu interior são soltas.

Mesmo existindo outras técnicas para aumentar o foco essas são as que mais apresentam resultados.
Resumindo…
Quem não precisa aumentar o foco que atire a primeira pedra! Precisamos entender como o nosso cérebro funciona. Estamos rodeados de distrações e informações dos mais variados tipos e isso mina nosso poder de concentração. Adotar algumas técnicas que trabalham essa habilidade é fundamental para sermos mais produtivos e aumentar o foco. Aprender a relaxar, distrair, curtir a família, caminhar, etc., são atividades importantes para manter o nosso equilíbrio.

Este conteúdo lhe ajudou? Comente, deixe sua opinião e compartilhe nossa página nas redes sociais que mais gosta.

Um abraço, Osmar

0