A perda de produtividade de um armazém pode estar relacionada a vários fatores. Um deles, diretamente ligado à correta logística de movimentação da mercadoria, a escolha da empilhadeira certa ajudará a definir o melhor fluxo e a velocidade de entrada e saída das mercadorias dentro do seu armazém.

Saber como escolher a empilhadeira ideal pode evitar perdas e custos extras, já que o uso dessas máquinas tem relação direta com a entrada e saída de materiais.

Para definir qual o melhor tipo, é preciso levar em conta as características do ambiente onde elas serão utilizadas, como a largura dos corredores, o peso e tamanho da mercadoria transportada, como é a manutenção de cada equipamento e principalmente como será o seu processo de picking.

No post de hoje, mostraremos o que considerar antes de comprar uma empilhadeira. Confira:

Uso interno ou externo?

O primeiro passo é definir onde a empilhadeira será empregada. Se for no ambiente externo da empresa, é recomendável escolher modelos movidos a combustíveis (diesel, GLP ou gasolina), que são mais baratos. Esses também são mais utilizados em terrenos com irregularidades.

Já do lado de dentro do centro de distribuição, o ideal são as empilhadeiras elétricas, que não fazem tanto barulho e nem emitem gases poluentes.

Na verdade, o modelo elétrico pode ser utilizado em qualquer terreno que seja liso e regular. Portanto, também pode ser empregada do lado de fora, se essas forem as condições da área. O valor de mercado é maior que o modelo a combustão, mas a diferença pode ser compensada ao longo do tempo por utilizar apenas eletricidade.

Qual é a estrutura da armazenagem?

Além disso, é importante ficar atento a outros pontos da estrutura de armazenagem que foi planejada ou a que já existe. A partir disso, será possível definir qual é a necessidade de elevação da empilhadeira.

A largura dos corredores, no caso de uso interno, é outro item importante a ser observado. Aliás, todo o espaço que será utilizado para manuseio do equipamento é determinante, como altura do vão de passagem.

Outra questão que merece cautela é o uso das empilhadeiras em caminhões. Essas devem ter um nível de elevação maior para fazer a movimentação da carga com segurança.

Quais são as características gerais da mercadoria?

Não é só o peso e o volume da mercadoria que estabelecem o modelo necessário de empilhadeira. Outros fatores – como, por exemplo, a fragilidade do produto – devem ser considerados. Devem se atentar como se comporta a sua armazenagem, se voce utiliza porta paletes ou trabalha com redução de custos buscando armazenagem blocada.

Na hora de comprar o equipamento, certifique-se da capacidade máxima suportada. Se o peso descrito for igual ou maior ao da carga mais pesada que será movimentada, então você está no caminho certo.

Mas não se esqueça de verificar o valor residual. Ou seja, qual é a carga máxima que a empilhadeira aguenta elevar até a altura máxima. Isso porque a maioria dos equipamentos não eleva sua capacidade total a 100% da altura.

Quanto vai gastar com manutenção?

Avaliar um equipamento não pode se restringir ao preço pelo qual ele é vendido na loja. O custo, que precisa ser colocado na ponta do lápis, inclui a manutenção ao longo dos anos de uso. Saber quanto será preciso gastar para trocar uma peça é fundamental.

Para isso, saiba onde estão os vendedores autorizados e qual é a vida útil da máquina. Além disso, procure saber de quanto em quanto tempo é necessário fazer a troca de óleo e de filtros. Muitos empresários alugam empilhadeiras antes de comprá-las, para conhecer o produto e verificar se as características atendem à necessidade do centro de distribuição.

Esse é um dos principais equipamentos utilizados em armazéns de estocagem. Por isso, é sempre bom contar com ajuda de profissionais que sabem como escolher a empilhadeira ideal, como o operador logístico. Como lida diretamente com os processos de movimentação, ele deve participar dessa decisão de compra, auxiliando na identificação dos recursos necessários e que priorizam o sucesso da logística de armazenagem.

Entendeu como é importante planejar a compra de uma empilhadeira? Acompanhe o blog e receba mais dicas como essas! Caso tenha alguma dúvida e queira conversar sobre o tema. Entre em contato comigo agora 11 95475-6564 ou osmar.vinci@grupoenar.com.br

0

4 Comentário

Luis Antonio Andreazza Barbosa

abril 20, 2018

Parabéns Osmar.

Realmente muito bom o artigo sobre a escolha dos equipamentos mais adequados ao tipo de operação que a empresa esta realizando.
Gostaria de deixa aqui também a minha contribuição,se me permite.
Fui Operador de Empilhadeira durante 8 anos e acredito que uma preocupação que as empresas devem ter também seria com a saúde dos operadores,pois uma máquina obsoleta ou que não esteja em tão boas condições de uso irá acarretar maior desgaste do operador,como dores nas costas e nos joelhos, trazendo futuramente prejuízo para empresa e para o operador.
Espero ter contribuído de alguma forma ,pois o trabalho é massante,exige extrema atenção por parte do operador e acredito que a escolha de um bom equipamento irá otimizar e muito toda a operação.
Abraço .

Atenciosamente

Luis Antonio Andreazza Barbosa

Responder

Osmar Vinci Filho

abril 25, 2018

Luiz Antonio, não existe ninguém melhor para falar sobre este tema do que o próprio operador, pois ele é quem vive o questão na prática. Obrigado pela sua contribuição

Responder

FERNANDO VELOSO

fevereiro 18, 2019

Com certeza uma otima materia, foi-se o tempo que as empresas deixaram de se preocupar tambem com a parte humana do sistema de produçao, a escolha dos equipamentos ideais para a atividade humana influencia e muito nos resultados, inclusive na saude do seu operador, sou admirador da filosofia de Napoleon Hill e em um dos seus livros muito se cultua a valorizaçao da MENTE MESTRA, que nada mais é que a uniao de diversas ideologias com o mesmo fim, que nada mais é que varios profissionais juntos com um ideal, ( no caso da empresa ) melhores resultados economicos e por que nao melhores resultados atraves do funcionario.

Responder

Osmar Vinci Filho

fevereiro 19, 2019

Fernando, obrigado pela contribuição. O Fator humano ainda é a melhor estratégia de crescimento. Veja isto no meu artigo:
https://osmarvincifilho.com.br/blog/por-que-o-fator-humano-ainda-e-a-melhor-estrategia-de-crescimento/
Um abraço, Osmar

Responder

Deixe uma resposta