Logística Interna, Projeto Logístico, Transportes,

Entenda como funciona a logística de distribuição

O principal objetivo de uma gestão de logística de distribuição é disponibilizar a quantidade de mercadorias certa, no momento certo e no lugar certo. Além disso, é preciso otimizar processos para que as operações sejam rentáveis e lucrativas. No atual panorama econômico, não existe margem para erros. É preciso um planejamento detalhado e estruturado para garantir um retorno sobre o investimento mínimo e a satisfação do cliente. Esses são pontos que garante um grande diferencial no mercado. Atrasos na entrega, por exemplo, podem resultar na perda da venda e do cliente. Para que isso não aconteça, a cadeia de abastecimento deve ser integrada.

Veja a seguir quais as etapas chaves no processo de logística de distribuição e qual a importância de cada uma delas:

Principais etapas da logística de distribuição

Sabendo da complexidade de um processo de distribuição, separei as principais etapas da logística e por que essas atividades requerem investimentos em sistema, pessoal e veículos.

Conferência de cargas após expedição

Após a expedição (etapa final dentro de um Centro de Distribuição) é preciso conferir as cargas em quantidade e tipo. Algumas ferramentas podem dar segurança nesta conferência, como leitores de código de barras. Erros na conferência podem resultar em devoluções – fantasma que assombra muitos distribuidores ainda hoje. A devolução gera prejuízos tanto para o distribuidor quanto para o varejista. No caso de um alimento perecível, por exemplo, o prazo de validade continua contando quando o produto é devolvido. Isso é: a chance de perda dessa mercadoria pelo fator tempo é muito maior, seja na prateleira do mercado, seja no armazém de distribuição.

Roteirização de entregas

O transporte representa um dos maiores custos dentro da logística de distribuição. Por isso, se não for bem planejado, pode gerar grandes prejuízos para as empresas. O momento da entrega tem papel fundamental na maximização do aproveitamento de recursos de transporte, e nesse caso, deve-se considerar custos, prazos e qualidade. Por causa disso, os distribuidores estão apostando em roteirizadores inteligentes capazes de identificar as melhores rotas, ou seja, aquelas com menor tempo, distância e qualidade (situação das estradas, por exemplo, no caso do modal terrestre). Dessa forma, economiza-se além de combustível e tempo, os gastos com manutenção do veículo de transporte.

Administração de transportes

Em uma das etapas que mais agrega custo ao produto, a informação é a base qualquer tomada de decisão. Análise de custos, quem vai transportar (frota própria ou terceirizada), assim como qual será a estrutura necessária, são fatores fundamentais para um serviço com melhor desempenho. Também que apresente menor confiabilidade, disponibilidade, capacidade e custo. Mesmo quando o serviço de transporte é terceirizado, é necessária uma boa administração para que seja válido e vantajoso. Nesse momento, várias negociações são realizadas até que se chegue a um consenso.

Controle de fretes

Fazendo o controle do frete, a empresa otimiza inúmeras atividades, ganhando rapidez nas operações e aumentando o controle financeiro e de qualidade. Empresas que fazem a gestão de frete conseguem controlar todo o ciclo de contratação de transportes, que inclui a cotação e negociação das tabelas e o pagamento pelo serviço. Existem sistemas no mercado que permitem o monitoramento de todo o processo, oferece ferramentas para conferência das faturas e dos conhecimentos, ocorrências de atraso, baixa das entregas, confirmação do embarque entre outras informações que facilitam a entrega (como notas fiscais, por exemplo).

Monitoramento e análise de indicadores

Os indicadores de desempenho logístico (KPIs) servem para avaliar e medir o nível de desempenho de processos. E por isso devem refletir estratégia e meta dos distribuidores. Os indicadores principais no ambiente de distribuição incluem tempo em trânsito, devoluções, exatidão das notas de transporte e pontualidade das entregas.

Saber como estruturar sistemas de distribuição que atendam de forma econômica mercados de todo o País e oferecer níveis de serviços cada vez mais altos não é tarefa fácil. Por isso, distribuidores que não se sintam capazes de cuidar de todas essas etapas com excelência costumam buscar ajuda de operadores logísticos. Com critérios de escolha da empresa parceira bem definidos, a terceirização das operações pode ser uma ótima opção.

Quer saber mais sobre logística de distribuição? Entre em contato comigo agora 11 95475-6564 ou osmar.vinci@grupoenar.com.br

 

8

3 Comentários

Jose Roberto de Brito

setembro 10, 2017

Ola boa tarde, estou começando a estudar sobre logística, como eu poderei receber mais conteúdo para estudar e aprimorar mais os conhecimentos da área de logistica.

Responder

Osmar Vinci Filho

setembro 18, 2017

Jose Roberto, boa tarde. No blog tem mais de 150 artigos de diversas categorias. Fique a vontade para ler. Um abraço.

Responder

Osmar Vinci Filho

outubro 13, 2017

Jose Roberto, continue acompanhando o nosso blog. Abraços.

Responder

Deixe uma resposta