Dicas, Projeto Logístico, Transportes,

Segurança no transporte de produtos químicos: uma visão geral sobre o assunto

Não podemos negar que a gestão da cadeia logística é bastante complexa em todas as indústrias. Mas há um setor em que essa dificuldade é ainda maior: o de fabricação de produtos químicos perigosos. Por natureza, materiais tóxicos, inflamáveis, corrosivos, infectantes ou radioativos tornam os processos de transporte, armazenamento e distribuição muito mais difíceis de serem realizados.

Quando alguma dessas etapas dá errado, os prejuízos vão muito além do atraso na entrega e da perda de recursos financeiros. O meio ambiente e a população são drasticamente impactados, e os danos são muitas vezes irreversíveis. É por isso que as fabricantes de produtos químicos operam diariamente em um mercado complexo e bastante exigente, repleto de normas e desafios de segurança.

A seguir, mostraremos uma visão geral sobre a segurança no transporte de produtos químicos e o que é preciso fazer para driblar os desafios impostos pela sua cadeia de distribuição. Não deixe de conferir:

Segurança:o fator que vem sempre em primeiro lugar

As companhias que fabricam produtos químicos lidam com muitos dos desafios logísticos enfrentados por empresas de outros setores. Mas o que torna o transporte desses produtos muito mais difícil é justamente a sua natureza. Quando envolvidos em algum acidente no processo de transporte ou armazenamento, produtos como herbicidas e pesticidas, petróleo e gás natural podem ameaçar a saúde pública ou o bem estar do meio ambiente.

É por isso que a preocupação com a segurança é crucial. Enquanto as empresas de outros setores olham primeiramente para os custos da cadeia logística, com o intuito de reduzi-los, as fabricantes de produtos químicos colocam a segurança à frente de todos os outros aspectos. Isso porque elas sabem que os prejuízos de um acidente resultado da falta de segurança são muito maiores do que os custos dos processos de transporte.

As normas e regulamentos criados pelo governo

Para manter tanto a população quanto o meio ambiente seguros, o governo desenvolve e aprimora constantemente regulamentos bastante rigorosos, relacionados aos processos de transporte, manuseio, armazenagem e separação de produtos perigosos. Para os especialistas, o estabelecimento desses regulamentos é fundamental. É por causa deles que não vemos tantos acidentes com produtos químicos.

As normas criadas pelo governo e pelos órgãos públicos (Polícia Civil, Polícia Federal, Exército, Ibama, Vigilância Sanitária, etc) abrangem desde o estado de conservação dos veículos até o treinamento de seus condutores. Também são considerados a sinalização dos veículos, as autorizações especiais de trânsito, os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) usados por motoristas e colaboradores, entre muitos outros.

O programa de segurança adotado pelas empresas

Todas as normas e regulamentos criados pelo governo impõem grandes desafios para as companhias que querem escoar seus produtos químicos para todas as regiões do país. Mas muitas fabricantes que possuem frota própria e estão cuidando de suas próprias cadeias logística estão superando esses desafios. Abaixo, falaremos sobre as ações inclusas no programa de segurança adotado por essas empresas:

O formação dos motoristas e colaboradores

Para poder guiar veículos com produtos perigosos, o motorista precisa ser aprovado em um curso voltado para esse tipo de transporte. Além de exigirem este curso, algumas empresas também estão obrigando seus motoristas a passarem por treinamentos internos para poderem lidar melhor com os produtos químicos a serem transportados e responderem à emergências de uma forma mais eficaz.

Eles aprendem, por exemplo, a identificar vazamentos, contornar problemas encontrados nas entradas e carregar e descarregar os caminhões com total segurança. Até mesmo os colaboradores que participam da cadeia logística e monitoram os processos estão recebendo treinamentos para poderem identificar quaisquer falhas que possam pôr em risco o transporte dos produtos e causar um grave acidente.

A proteção da carga contra criminosos

As empresas também estão preocupadas em manter os produtos longe das mãos erradas – ou seja, de criminosos interessados em roubá-los para usá-los ou vendê-los. É por isso que as empresas estão instalando dispositivos nos veículos para monitorar a carga durante todo o trajeto e controlar a carga e a descarga nos armazéns. O controle de acesso dos colaboradores às suas instalações também está se tornando mais rígido.

A garantia da integridade dos produtos químicos

As companhias se preocupam não só com a segurança dos produtos, mas também com a sua integridade. Os veículos e armazéns mantêm a umidade e a temperatura dos produtos controlados para que sua vida útil não seja reduzida. As lâmpadas, as empilhadeiras e os outros equipamentos utilizados no armazém também são projetados para não emitir energia e radiação que possam afetar os produtos químicos.

A terceirização do transporte de produtos químicos

O transporte de produtos químicos exige uma maior consciência em relação à segurança e preparação para a realização dos processos de transporte. É por isso que muitas empresas do setor químico tem optado pela terceirização do transporte dos seus produtos, repassando toda a responsabilidade para transportadoras devidamente certificadas e com mais experiência, responsabilidade e infraestrutura.

A terceirização se configura como uma ótima maneira de driblar as normas impostas pelo governo e também de escoar os produtos químicos para todas as regiões do país com total segurança. Ao terceirizar esse tipo de transporte, as indústrias químicas também deixam de se preocupar com outras questões, como os treinamentos dos motoristas e colaboradores e os custos de veículos e armazéns.

E você, está pensando em terceirizar o transporte de seus produtos químicos? Aproveite para saber como podemos ajudá-lo nesta empreitada. Entre em contato comigo agora 11 95475-6564 ou osmar.vinci@grupoenar.com.br

0

Deixe uma resposta