O transporte de cargas movimenta a economia mundial e, por isso, é importante investir neste setor para manter a cadeia de suprimentos em pleno funcionamento. Mas para melhor atender ao consumidor e manter a empresa competitiva, é preciso se atentar para as diversas formas de transportar cargas.

Com a globalização, houve quebras de paradigmas e as fronteiras se ampliaram, fomentando ainda mais as atividades de exportação e importação. O setor de transporte, por consequência, passou a ser mais cobrado quanto à agilidade e ao cumprimento dos prazos de entrega. As cargas se tornaram ainda mais diversificadas e exigiram tipos de veículos e embalagens especiais para chegarem aos seus destinos.

Como é feito a logística a granel

 

O armazenamento em silos é uma tendência no sistema de logística a granel. Otimiza a planta industrial porque o espaço ocupado pelos silos é menor em relação a outros métodos de estocagem de matérias-primas. A implantação de silos possibilita melhor aproveitamento e organização das áreas de produção. Os índices de perdas, misturas e contaminação de matérias-primas são muito menores e pode chegar à zero.

Outro benefício desse sistema é a redução de custos operacionais e dos custos com a mão de obra que seria empregada para executar os serviços, tais como os encargos trabalhistas e sociais. Processos automatizados na logística a granel também possibilitam a redução de acidentes de trabalho uma vez que não haverá uma movimentação intensa de trabalhadores, empilhadeiras e outros equipamentos.

A logística a granel é um sistema que deve ser adotado por empresas que querem atingir o nível zero de perdas de matérias-primas. A armazenagem a granel traz um ganho substancial em termos de produtividade e eficiência no sistema logístico da empresa, que abrange armazenagem, movimentação de cargas ao setor de produção e distribuição dos produtos. O sistema automatizado de recebimento e fluxo de resina proporciona uma melhoria significativa às indústrias, independentemente do porte, elevando o grau de competitividade. O modelo também permite o rastreamento de todos os processos.

Armazenagem e transporte a granel de resinas

A Braskem, maior fabricante de resinas termoplásticas das Américas, é um exemplo entre as indústrias que adotaram a logística a granel. O material (resinas) é depositado em contêineres especiais, com capacidade superior a 30 toneladas de carga, e levados aos silos de armazenamento dos clientes da empresa. A Braskem iniciou o projeto de logística a granel no polo petroquímico de Camaçari, na Bahia. Gradativamente esse modelo de distribuição foi expandido para outros estados onde a empresa opera, como São Paulo e Rio Grande do Sul.

Outro exemplo é a Tigre, fabricante nacional de tubos e conexões em PVC. Há 20 anos a empresa se preparou para receber a matéria-prima a granel, armazenada em silos que comportam de 100 a 120 toneladas de resinas plásticas em todas as unidades. Em Rio Claro, a Tigre mantém uma fábrica com 12 silos de armazenagem.

A Colgate adotou o sistema a armazenagem de resinas em silos, utilizadas na fabricação de peças como tampas e cabos de escovas de dente. Na unidade de São Bernardo do Campo, a empresa movimenta cerca de 250 toneladas de resinas ao mês. Polipropileno e polietileno de alta densidade são algumas das matérias-primas recebidas a granel. No pátio externo da fábrica, há dois silos fabricados pela JMB Zeppelin, cada um com capacidade para receber 40 toneladas desses produtos.

Transporte a granel em carreta-silo

O modal rodoviário é bastante utilizado no transporte de granéis sólidos e líquidos. As cargas sólidas como as resinas, por exemplo, são transportadas, principalmente, em caminhões-silos ou contêineres especiais, que possuem sistema contra contaminação de matérias-primas.

Em um país com tamanha dimensão territorial como o Brasil, o modal rodoviário possibilita o embarque e desembarque de mercadorias nas localidades mais distantes. A vantagem do transporte rodoviário é a entrega da carga diretamente ao comprador. Ou seja, o cliente não precisa contratar uma transportadora para retirar a mercadoria no terminal portuário ou ferroviário e levá-la até os armazéns da empresa.

Outro fator a destacar é que o transporte rodoviário garante a entrega de cargas nos locais mais longínquos do Brasil. A malha ferroviária não cobre todo o território nacional. Outros meios de transporte – marítimo, hidroviário e aéreo – ainda não conseguem suprir as necessidades das empresas importadoras e exportadoras. São os caminhões e carretas que garante o escoamento da maior parte da produção nacional e distribuição de mercadorias importadas.

Para garantir a segurança e eficiência no transporte rodoviário de mercadorias, as empresas estão, cada vez mais, investindo em tecnologias de informação que possibilitam o acompanhamento da frota durante todo o percurso.

A APOIO LOGÍSTICA (GRUPO ENAR), um dos maiores operadores logísticos do Brasil, oferece soluções customizadas de armazenamento (Bigbags, Paletes, Blocado), transvase, distribuição, cross docking, transporte (fracionado, lotação e transporte de contêineres).

A APOIO LOGÍSTICA (GRUPO ENAR) possui uma estrutura de 200.000 m² de armazéns, distribuídos nos estados de São Paulo, Santa Catarina e Paraná; e uma frota moderna de caminhões e carretas que atende, com eficácia, o transporte a granel e o recebimento de produtos em big-bag, com transferência para a carreta-silo. Modernos sistemas de TI possibilitam o rastreamento 24 horas das cargas rodoviárias transportadas pela APOIO LOGÍSTICA (GRUPO ENAR).

Ainda ficou com dúvidas? Deseja mais algumas informações? Quer conferir como isto funciona na prática? Entre em contato comigo: (11) 95475-6465 ou osmar.vinci@grupoenar.com.br

Fontes que ajudaram neste artigo:
http://www.plastico.com.br/armazenamento-e-transporte-de-resinas/4/
https://www.braskem.com.br/detalhe-noticia/Braskem-e-Cromex-reforcam-parceria-com-logistica-a-granel
http://www.zeppelin-la.com.br/pt-br/noticia/noticias/tigre-investe-em-novos-silos-e-na-qualidade-zeppelin-systems.html
0

Deixe uma resposta